A prova de que não há impossíveis:

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Seis números. SEIS.

DN Portugal com o patrocínio da Adidas





Workout Music | Dancin



Get up on the floor, 
Dancin' all night long, 
Get up on the floor, 
Dancin' till the break of dawn
Dancin' is what to do 
Dancin's when I think of you 
Dancin's what clears my soul 
Dancin's what makes me whole




Labels:

Eu não sou normal III

Se me saísse o Euromilhões não faria uma viagem à volta do mundo.

Mas comprava a Mango. Já disse que comprava a Mango?



Comments: 0 comentários
Labels:

Não vou perder tempo a tentar perceber IV

Ele: Preciso mesmo de comprar um drone!

Como é que alguém precisa mesmo de comprar um drone é algo que me ultrapassa. Os meus desejos consumistas são tão mais básicos. Ok, comprar a Mango não é básico, mas o resto é.



Comments: 0 comentários
Labels:

O Dia das Compras na Net

está integrado na Portugal Internet Week'14, promovida pela Associação da Economia Digital. Podem ir consultando todos os descontos e ofertas de hoje na página de facebook aqui.

Estes interessam-me, porque preciso de pão para a alma, de perfumar o corpo e de me vestir [diz que convém]:

  • 10% e portes grátis na Wook
  • 20%  na Perfumes & Companhia até dia 31
  • 30% na Mango, com o código 5weekend, até dia 26

Como não há coincidências, o universo, sempre querido e atento, reservou-nos para este dia um dos maiores jackpots de sempre no Euromilhões. 190 milhões já davam para umas comprinhas, mas... "será que chegavam para comprar a Mango?" é a pergunta que se impõe.





Untouchable

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Da música, densa, que toca (n)a alma.
Das coincidências que não existiram nos outubros de 2012 e 2014 porque, já se sabe, não há coincidências. De como é que não fui ver Anathema ao Porto no dia 11, como?

E de como, por vezes, tenho de escrever por enigmas porque na minha alma só toca quem eu quero.


And I feel like I knew you before 
And I guess that you can hear me through this song
And my love will never die 
And my feelings will always shine
And I know that you just want me to belong to someone 
And I guess that now I'll just be moving on to someone 
But my love will never die 
And my feelings will always shine 
I'll never betray your trust 
I'll never betray your faith 
I'll never forsake your heart 
I'll never forget your face 
There's a feeling that I can't describe 
There's a reason that I cannot hide 
Because I've never seen a light that's so bright 
As the light that shines behind your eyes 
I can see 
This life and what you mean to me 
And when I dreamed, 
I dreamed of you 
Then I wake 
Tell me what could I do? 
I had to let you go to the setting sun 
I had to let you go and find a way back home




Labels: ,

Da série Stop The Madness!

[Também podia ser da série E Que Tal Mudar A Sede Da Comissão Europeia para Mercúrio?]





Comments: 0 comentários
Labels: ,

My life on earth


Your life on earth - how you and the world have changed since you were born | BBC

É seguir o link, colocar a data de nascimento e ficar a saber o que mudou desde aquele belo dia em que disseram olá ao mundo.

O que é que descobri sobre mim?

Que a quantidade disponível de maçãs, bananas e ovos por pessoa aumentou muito desde que nasci. Parece-me bem. Só não percebo porque é que não colocaram estatísticas sobre os diospiros, já que é suposto ser sobre mim [eventualmente esta obsessão por diospiros conhecerá um fim, aguardemos com serenidade]. Enfim, lá terei de reclamar junto da BBC.

Que, se fosse um beija-flor, o meu coração já teria batido 24 biliões de vezes. Como não sou, o meu coração só bateu um milhão de vezes. Mas a BBC prevê que continuará a contar, pelo menos até comemorar 150 anos, altura em que os recursos naturais esgotarão. Tenho de abastecer-me convenientemente de cremes anti-idade, que ainda tenho mais de uma centena de anos para viver. Acho que preferia ser um beija-flor, sempre não tinha de me preocupar com cremes.

Que em Mercúrio já teria 149 anos. Eu acho que não. Com uma temperatura média de 67 ºC já teria emigrado para outro planeta do sistema solar, um mais ameno e com água e pessoas e diospiros [chatinha] e internet e assim. Teria, portanto, a mesma idade que tenho hoje, a terrestre.

Entre outras coisas giras. Ide lá.





"São opiniões"

Duas pessoas:
Uma diz-me que nada é impossível, que podemos sempre ir mais longe, que é preciso sair da zona de conforto, que nem o céu é o limite.
A outra diz-me que todos temos as nossas limitações, que nem tudo pode ser alcançado e que mais vale permanecer confortável.

Quem é que eu escolho?
A primeira, escolherei sempre a primeira - é magnético - e é por isso que tenho uma dessas pessoas ao meu lado todos os dias. Afastar-me-ei sempre da segunda. Porque mesmo que o impossível não se torne possível, que não vá mais longe, que o céu seja de facto o limite, pelo menos sonhei e desafiei-me e é com o sonho e com o mergulhar nos desafios que o (nosso) mundo avança.

Custa sair da zona de conforto? Custa. Muito.
Mas compensa? Não há como experimentar. Vejam com os vossos olhos e depois dêem-vos a vossa opinião.





Comments: 2 comentários
Labels: ,

Eu não sou normal II

Não tenho por hábito bisbilhotar perfis de facebook. Nem os dos meus amigos, imagine-se.

Aderi ao facebook há uns anos porque não queria perder o contacto com algumas pessoas que se tornaram fãs acérrimas da rede. Utilizo o facebook como (mais) uma ferramenta de comunicação, informação e trabalho. O estritamente necessário. E mesmo assim, por vezes, absorvo mais informação do que desejaria.

É provável que me passe alguma parte da vida ao lado. É também provável que a minha vida não me passe ao lado.



Comments: 5 comentários
Labels: ,

Para não ser só diospiros, diospiros, diospiros...

When life hands you lemons make grape juice. Then sit back and watch as the world wonders how you did it.




Labels: ,

Quem tem um marido assim tem tudo.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

À noite:

Ele: O que é que vais comer?

Eu: Um diospiro.
[Um diospiro entre outras coisas, não se apoquentem. Tenho de aproveitar, que a época do fruto é curta e depois passo o resto do ano a tropeçar - não literalmente, em geral - em toneladas de maçãs, laranjas e ananases, enquanto suspiro por diospiros.]

Ele: A sério? [Como se eu fosse pessoa para brincar com um assunto sério como comer diospiros.] Mas não é indigesto?

Eu: Não sei, mas está a apetecer-me, vou comê-lo.
[É assim mesmo: living on the edge! Indigestões, who cares?]

Ele: Ok, se morreres, pelo menos morreste satisfeita.
[Há sempre um lado positivo em tudo.]


Estou viva. E pronta para outro.



Comments: 3 comentários
Labels:

As palavras que vos diria

se não tivessem direitos de autora - A Loira:

O PROBLEMA DAS MULHERES

Se estamos magras é porque estamos anorécticas, pobres de nós que sempre sofremos da cabeça com esta mania das dietas. Se estamos gordas é porque não temos cuidado nenhum, comemos tudo o que nos apetece, somos umas lontras. Se fazemos exercício é porque não temos mais nada para fazer, se fossemos passar a ferro é que éramos umas grandes mulheres. Se não fazemos exercício é porque somos umas preguiçosas, que só queremos estar alapadas em frente à televisão a comer bolachas. Se somos magras e vamos correr devíamos era ir comer um hambúrguer. Se somos gordas e vamos comer um hambúrguer somos umas nojentas, devíamos era comer duas folhas de alface. Se deixamos o cabelo crescer não tem jeito nenhum, está horrível e sem corte. Se cortamos o cabelo, que horror, onde estávamos com a cabeça para fazer uma coisa destas? Se vestimos bem queremos chamar a atenção. Se vestimos mal somos umas desleixadas. Se temos um namorado bonito, pobre homem, deve ter um grande defeito para estar connosco. Se temos um namorado feio é porque somos horríveis e não conseguimos arranjar melhor. Se elogiamos é porque queremos alguma coisa. Se criticamos é porque somos fracas, mesquinhas e invejosas. Se estamos caladas é porque somos umas sonsas. Se falamos demais é porque estamos com falta de sexo. Se gostamos de estar em casa somos umas anti-sociais. Se gostamos de sair e de nos divertir somos umas galdérias. Se passamos muito tempo sem um homem pobres de nós, devemos estar com uma grande depressão. Se pelo contrário acabamos uma relação e começamos outra somos umas vadias. O problema das mulheres não é ser gorda, nem ser magra, não é ser alta ou baixa, bonita ou feia. O problema das mulheres é que são sempre criticadas. 





Comments: 2 comentários
Labels:

[13] Things I ♥

Que leiam o meu blogue e percebam as mensagens subliminares que envio através dele. Pois que escrevi que gosto de diospiros e aparecem-me à frente com uma caixa de diospiros acabados de colher porque, surpreendentemente, alguém percebeu que gosto de diospiros. Obrigada P.!

Não são lindos mas são biológicos. #oquecontaéointerior




Comments: 1 comentário
Labels: ,

Workout Music | Colors


Saw them dancing in your eyes
Like shadows in the night
Doing pirouettes around the stars
We were running in a haze
I remember every shade
Hit my veins and they shot up sparks 

Words fell from your lips 

And all I heard was white noise in the dark 
But when you looked away 
I remember every shade 

So let your colors run tonight 

We’re painting in the dark 
Let your colors run tonight 
The colors of your heart  




Labels: ,

Haja alguém que me compreenda

terça-feira, 21 de outubro de 2014


Uma amiga - jornalista e escritora - comentava: "O Segredo é a pior mérdia que já tentei ler. Tentei."



Comments: 4 comentários

Como peixes na água.

Quando a minha filha entrou pela primeira vez numa piscina, o professor dela não acreditava que nunca tivesse tido aulas de natação.

Ontem estive a conversar com o professor de natação do meu filho, que acha que ele tem perfil para competição [se não andasse agora com a tara de querer voltar para o nível I porque é mais divertido. enfim.]

Ainda estou para descobrir a quem é que eles saem.



Comments: 1 comentário
Labels: , ,

Queres uma goma? Queres, QUERES?

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Fim de aula. Eu a conversar com a instrutora. Passa um instrutor que distribuía gomas por tudo o que era pessoa que encontrava, não excetuando esta pessoa que vos escreve:
- Queres uma goma?
- Não, deixa estar, obrigada.
- Toma lá, come uma goma!
- Não quero, obrigada.
- Come uma!
- ...

Dia seguinte, antes do início da aula. Outro instrutor:
- O que é que procuras?
- O meu MP3...
- Queres uma goma?
- Não, neste momento quero é encontrar o meu MP3. [Esse aparelho essencial à vida.]
- E uma goma, queres?
- ...

Admito que está bem pensado. Andar a oferecer guloseimas pelo ginásio fora embora lá dentro é uma ótima estratégia. Calories out com exercício, calories in com gomas. A clientela não engorda mas também não emagrece e, assim, nunca mais de lá sai.

Mas... gomas? Gomas parece-me algo desadequado, infantil talvez. Gomas é para meninos.


Para pessoal da pesada nada melhor do que comida da pesada, com substância, comida a sério. Nada de gomas cor de rosa. Gosto de jogar pelo seguro, pelo que, se o ginásio fosse meu, colocava logo à entrada_quando_se_entra / saída_quando_se_sai umas alheiras de Mirandela, uns pedaços generosos de broa de Avintes, umas rodelas de chouriço de sangue, umas chamuças (só) para dar um toque internacional, umas malgas com sopa a lavrador e vinho tinto maduro alentejano daqueles em garrafão mesmo e que, calculo, combina lindamente com as chamuças.

Como sei que o pessoal do gym devora cada post meu como se de comida luso-indiana se tratasse - eu percebo, o meu blogue é uma espécie de bíblia do fitness -, estando, portanto, sempre muito atento às minhas necessidades e inquietações, estou certa de que, não tarda, me perguntarão:

- Queres uma alheira? Não? E uma chamuça? Queres, queres? Come lá o raio da chamuça! És tão difícil...! Mas não disseste no teu blogue que querias comida luso-indiana? Mau, parece que andas a gozar.



Comments: 4 comentários

Fénix

No 20 de outubro de há dois anos uma pessoa estava de parabéns. Encontrava-me longe, tinha acabado de comprar o meu Keep Calm and Carry On e estava com ele em mãos quando recebi uma notícia que deitou [quase] tudo por terra.

Hoje, no mesmo dia mas com um dia totalmente diferente - até o verão voltou em força - estou perto e há muito mais pessoas de parabéns por terem acreditado que tudo é impossível [apenas] até que aconteça.

Outubro parece-me um bom mês para recomeços.






Tarde e a más horas

Opinante, aqui ficam as minhas incríveis respostas às tuas fabulosas perguntas, tarde [tenho andado ocupada] e a más horas [é meia-noite e meia, ninguém publica posts a esta hora, só uma pessoa revolucionária como eu]. Agora vou dormir que os sonos de beleza não dormem sozinhos.

O que mais te surpreendeu no mundo da blogosfera?
Estou pela blogosfera desde que nasceu [só não andei com ela ao colo porque não dava muito jeito], por isso conheço-a bem, é difícil surpreender-me.

Já falaste sobre algum assunto de que depois te arrependeste?
Não, mas acredito que nem todos entendam o tipo de humor, o sarcasmo, a ironia, as divagações muito próprias ou as interligações de ideias que faço o favor de partilhar num blogue público, disponível à humanidade para consulta e comentário.

Por outro lado, é possível que algumas pessoas se tenham arrependido de ler o que escrevi - principalmente se não perceberem português ou se tiverem o hábito de coscuvilhar ler blogues só porque não lhes assiste nada melhor -, mas essa questão já me ultrapassa:

[quote em inglês para ser mais inteligível a quem não sabe português]

A tua família tem conhecimento do blogue?
Toda a gente conhece o meu blogue. Há alguém que não conheça o meu blogue? Se estiver por aí alguém que não conheça o meu blogue que se acuse.

Que cuidados tens com as fotografias que colocas?
Tenho todos os cuidados possíveis. Trato-as com imenso carinho para que não se danifiquem. Até agora nenhuma se queixou.

Que expetativas tens quanto ao blogue?
Já que toda a gente humana [pleonasmo] o conhece, que se torne conhecido lá fora. Lá fora mesmo. As in fora da Terra. "The Glitter Side, o primeiro blogue interplanetário" era giro. Acho que, aí, a blogosfera finalmente me surpreenderia.



Comments: 3 comentários
Labels: ,

Há de haver sempre quem prefira palmadinhas nas costas.

sábado, 18 de outubro de 2014


Incrivelmente, dei por mim a explicar ao dono de um ginásio que se devem criar condições para que os clientes se sintam motivados, libertem o máximo de energia possível, saiam de lá satisfeitos com o seu treino e com vontade de... voltar.

Que não pode ser só para a fotografia. Que, no fundo, um ginásio alimenta-se de dinamismo e que o sucesso mede-se mais pela capacidade de manter os clientes do que captá-los.


Saí de lá com a sensação de ter estado a dar uma aula de Filosofia ao tronco de uma árvore. E a precisar muito de uma aula de Combat ou Grit ou assim. #changethegame



Comments: 4 comentários
Labels: